FORA! Os Cartões VERMELHOS Mais Engraçados Jamais Vistos.

O cartão vermelho é utilizado em várias modalidades de esportes pelo árbitro da partida, no sentido de indicar ao jogador que ele acaba de receber um determinado nível de punição, que nesse caso é a expulsão do jogo.

Mas, nem sempre foi assim. Antigamente, essas advertências não eram entendidas. Assim, para que os torcedores e jogadores pudessem compreender o que se passava em campo, os cartões amarelo e vermelho foram introduzidos.

https://www.youtube.com/watch?v=OaYfN4sJYKw

O primeiro jogador a receber o primeiro cartão vermelho em um jogo oficial de futebol, de uma fase final de campeonato mundial foi o chileno Carlos Caszely, ele já havia recebido um cartão amarelo anteriormente, no mesmo jogo.

Aqui está um pouco da história desta ideia que deixa muitos jogadores “pendurados”. Mesmo com todos os inconvenientes das consequências de um cartão vermelho, alguns jogadores não parecem se importar muito.

Bem, vamos ao histórico da necessidade da introdução dos cartões nas partidas de futebol. Parece que tudo começou mesmo na COPA DO MUNDO de 1966, na Inglaterra, numa partida válida pelas quartas de final, entre os Ingleses e os Hermanos Argentinos.

O árbitro era um Alemão, o Sr. Rudolf Kreitlein. Naquela época, as advertências e expulsões eram verbais. O árbitro avisava os atletas e anotava as advertências em sua caderneta.

Logo no início da partida, três jogadores Argentinos foram “advertidos” no estádio lotado de Wembley. Um deles, o capitão Rattín, pouco antes do final do primeiro tempo, enlouquecido com a atuação do árbitro, começou a gesticular acintosamente solicitando um intérprete para comunicar-se com o árbitro.

Sua insistência foi tão grande que o Alemão acabou “interpretando” os gestos do Argentino como xingamentos e acabou expulsando da partida.

Rattín, inconformado, negou-se a sair de campo, ele não entendia que estava sendo expulso, e após uma grande interrupção teve que ser “convidado” a se retirar do gramado da maneira mais desagradável possível, escoltado pela polícia.

Depois daquele incidente no jogo de 23 de julho, a Fifa percebeu que deveria inventar algo não-verbal para que os juízes pudessem advertir os jogadores.

Foi o árbitro inglês Ken Aston, chefe dos juízes do Mundial, quem teve a ideia, ao parar em um semáforo, um dia depois do jogo. Ele observou as cores do sinal e concluiu que o uso de cartões nas cores vermelho e amarelo poderia ser uma solução, e eles foram instituídos a partir da Copa de 1970. Amarelo: Cuidado e Vermelho: PARE (Fora!)

Leave a Reply